• O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
  •  21 2418-7141

 Zc 3.1-4: “Deus me mostrou o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do Anjo do SENHOR, e Satanás estava à mão direita dele, para se lhe opor. Mas o SENHOR disse a Satanás: O SENHOR te repreende, ó Satanás; sim, o SENHOR, que escolheu a Jerusalém, te repreende; não é este um tição tirado do fogo? Ora, Josué, trajado de vestes sujas, estava diante do Anjo. Tomou este a palavra e disse aos que estavam diante dele: Tirai-lhe as vestes sujas. A Josué disse: Eis que tenho feito que passe de ti a tua iniquidade e te vestirei de finos trajes”

E
sse é o segundo texto de uma série que intitulei “tesouros desprezados” (o primeiro está disponível em  http://www.sto.org.br/index.php/historico/artigos/359-a-responsabilidade-de-ser-bencao ). Essa série tem o objetivo de explorar alguns textos bíblicos que normalmente não lemos e, portanto, contém tesouros desconhecidos da maioria de nós.

Hoje, quero refletir com vocês sobre esse trecho de Zacarias 3. É um daqueles textos que desmistifica a ideia que o Antigo Testamento é o período da Lei, enquanto que o Novo Testamento é o período da Graça. Podemos ver, no relato de Zacarias, a Graça de Deus pintada em um quadro com cores vivas!

A imagem na visão do profeta é de um julgamento. O Sumo Sacerdote Josué aparece no tribunal de Deus, tendo Satanás (que significa “adversário”, “aquele que se opõe”) à sua direita e o Anjo do Senhor diante dele. É interessante notar que, mesmo antes que Satanás pudesse trazer qualquer acusação contra Josué, o Anjo do Senhor, uma teofania do Messias pré-encarnado (veja que ele fala no verso 2 e o texto diz que é o Senhor quem profere as palavras) já clama pela repreensão de Deus, o Juiz Senhor sobre todos os presentes naquele tribunal.

Satanás é, então, repreendido e não pode acusar Josué. O argumento do Anjo é que “Deus escolheu Jerusalém” (uma representação de toda nação de Israel). Satanás não é repreendido porque Josué é alguém bom e santo e, dessa forma, não teria margem de acusação. Pelo contrário! O texto deixa claro que Josué estava vestido com vestes “sujas”. Em uma clara indicação do seu pecado, Josué é mostrado com suas vestes sacerdotais, cujo rigor com a pureza sempre foi destacado na Lei de Deus, imundas. A palavra traduzida por “sujas” na maioria das nossas versões em português é tsoim. Os judeus possuíam várias palavras que serviriam como sinônimos de “sujo”, mas tsoim era usada quando se desejava expressar uma completa imundícia causada por fezes. A palavra escolhida por Zacarias não é aleatória. Ele queria expressar o estado totalmente contaminado, imundo, repulsivo em que se encontrava o sacerdote diante de Deus. Olhando por esse lado, Satanás tem base legal e até razão em acusar Josué! Ele está imundo pelos seus pecados. Está diante de um Deus santo contaminado pelos seus erros. Não são pequenas manchinhas que salpicam suas vestes, mas ele está imundo diante de Deus.  O nosso pecado é assim. Repulsivo! Satanás tem todo o direito de acusar Josué!

Mas o Anjo do Senhor o repreende porque Deus o havia escolhido. A eleição (e não o mérito) é a base de absolvição de Josué e de repreensão de Satanás! É uma demonstração clara e inequívoca da Graça divina que alcançou o Sumo Sacerdote Josué naqueles dias e que, de igual forma, nos alcança hoje. Não fomos salvos porque éramos bons ou porque Deus sabia, na sua presciência, que seríamos bons. Ele não repreende as acusações porque Satanás não tem o direito de fazer isso. Somos pecadores e totalmente corrompidos pelo pecado herdado de Adão. Nossas vestes estão imundas pelas nossas iniquidades e só há uma forma de não sermos condenados diante de Deus: Cristo repreender o acusador e nos purificar diante do Pai!

Mas, além disso, o Senhor Jesus pré-encarnado diz que Josué é “um tição tirado do fogo”. Essa expressão já havia sido proferida pelo profeta Amós muito tempo antes (Am 4.11) com relação ao povo de Israel e, agora, é usada por Zacarias de forma específica para Josué. O que ele quer dizer com isso? A ideia aqui é de um pedaço de madeira que estava queimando no fogo. Todos nós sabemos o que acontecerá. A madeira irá queimar até ser totalmente consumida e se tornar cinzas. Mas esse “tição” foi tirado do fogo! Josué era como um toco de madeira que estava sendo destruído pelo fogo da ira divina, mas que foi alcançado pela graça de Deus e arrebatado da destruição! Ele foi salvo da destruição e da morte eterna, porque Deus o resgatou, tirou-o do meio do fogo, salvou a sua vida. Lembre-se que ele não foi salvo por mérito. Suas vestes estavam imundas. Ele foi salvo por graça! Josué poderia ter dito, com todas as letras, o que Paulo falou mais tarde: “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Rm 8.1). Isso é Graça!

Observe que o texto diz que, logo após a repreensão, a ordem do Filho é: “Tirai-lhe as vestes sujas”. Para Josué, a boa-nova é: “Eis que tenho feito que passe de ti a tua iniquidade e te vestirei de finos trajes”. Satanás não é só repreendido e Josué livre da condenação justa pelos seus erros, mas o Senhor mesmo o purifica e afasta dele os seus pecados. A linguagem nos lembra muito a parábola do filho pródigo. Da mesma forma como o pai recebe o filho que volta sujo com as imundícias dos porcos, tira a sua roupa e veste-o de roupas limpas, o Senhor recebe a Josué, purifica-o dos seus pecados e lhe dá roupas novas e puras (continue lendo Zc 3 e veja quantas semelhanças há com Lc 15.11-24).

Deus, por sua graça, não somente nos salva, mas também nos purifica a cada dia. Ele está operando graciosamente sobre nós, nos santificando e nos fazendo perseverar até o fim! Isso é Graça! Tanto no Antigo Testamento, quanto a partir do Novo Testamento.

O texto de Zacarias nos apresenta, na forma de uma visão, a mensagem do evangelho:

- Todo homem, seja ele um religioso ou não, está totalmente contaminado com o pecado;

- Sendo justo e santo, Deus condenará todos os pecadores com a morte espiritual e eterna;

- Cristo Jesus repreende toda e qualquer acusação e isso não é movido pelos nossos méritos, mas pela sua Graça, amor e misericórdia;

- A salvação em Cristo que nos alcançou transforma a nossa vida, de forma que temos nossas vestes sujas removidas e é colocada em nós uma nova veste de pureza e santidade.

Percebe como essa separação de Lei x Graça relacionada a divisão AT x NT é totalmente arbitrária e incorreta? Zacarias nos lembra que Deus salvava os homens no AT pela graça, mediante a fé, por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. Nunca foi por obediência à Lei, porque, se fosse, todos estariam condenados. Igualmente hoje, o Senhor nos salva por sua Graça, pelos méritos de Cristo, pelo sacrifício dele, através da fé. Isso é Graça!

Celebremos a Graça que nos alcançou!

Sejamos gratos pela obra de purificação que nos transformou!

Vivamos para a Glória daquele que nos salvou!

 

 


   Autor
   Pr. Rodrigo Suhett

Rodrigo Suhett é pastor na Igreja Quadrangular do Bairro Adriana, Rio de Janeiro.
Bacharel em Teologia, Pós-graduado em Teologia Bíblica. Rodrigo também é professor no Seminário Teológico do Oeste.

 


 

Voltar